terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Povos indígenas no Amapá e no norte do Pará

Os povos indígenas no Amapá e norte do Pará possuem uma história em comum de relações comerciais, políticas e rituais que existem a pelo menos três séculos. As relações entre esses povos resultaram em separações de grupos, fusão, substituição e aquisição de novos itens culturais. (GALLOIS e GRUPIONI, 2009)
Os povos indígenas em questão são dez: Galibi Marworno, Palikur, Karipuna, Galibi do Oiapoque, Wajãpi, Aparai, Wayana, Tiriyó, Katxuyana e Zo’é. Esses nomes foram adotados pelos grupos indígenas após diversos processos migratórios, fusão, guerras ou alianças, conforme relatado por viajantes a partir do século XVII. Portanto, as fronteiras entre esses grupos não eram muito bem definidas sendo que a adoção de políticas indigenistas pelos governos do Brasil, da Guiana Francesa e do Suriname a partir do século XX, influenciaram fortemente a definição dessas fronteiras entre os grupos étnicos na região. (GALLOIS e GRUPIONI, 2009)
O padrão de ocupação territorial desses povos também foi influenciado pelas políticas indigenistas, quando o padrão de ocupação dispersa foi sendo substituído pela ocupação concentrada em poucas aldeias que possuíam atendimento de saúde. Entretanto, com o passar do tempo, os indígenas perceberam que a concentração de uma grande população em uma única aldeia apresentava uma série de problemas como a falta de caça, pesca e outros materiais utilizados. E então voltou a aumentar a multiplicidade de pequenas aldeias ao longo das bacias hidrográficas. (GALLOIS e GRUPIONI, 2009)
O cultivo de roças, a caça, a pesca e a coleta compõem a base do sustento alimentar dos povos da região. Todas essas atividades produtivas são orientadas conforme a estação do ano que determina a época mais propícia para cada etapa do cultivo da roça bem como a disponibilidade da caça, pesca e coleta em diferentes áreas. (GALLOIS e GRUPIONI, 2009)
Para conhecer mais estes povos sugere-se a leitura da publicação “Povos indígenas no Amapá e norte do Pará: quem são, onde estão, quantos são, como vivem e o que pensam?” (fonte ao final deste texto) que contribui para a compreensão da variedade de povos indígenas no Brasil e nesse livro é possível conhecer um pouco mais sobre o histórico, formação dos grupos étnicos, línguas, organização social, atividades produtivas e outros assuntos relacionados aos povos indígenas dessa região, apresentando as especificidades e semelhanças.

Adaptação de texto
Isabel S. Saraiva
Indigenista Especializada
Isabel.saraiva@funai.gov.br
Fonte:
GALLOIS, D. T.; GRUPIONI, D. F. Povos indígenas no Amapá e norte do Pará: quem são, onde estão, quantos são, como vivem e o que pensam. São Paulo: Insituto de Pesquisa e Formação em Educação Indígena, Museu do Índio, Núcleo de História Indígena e do Indigenismo da Universidade de São Paulo, 2009, 96p.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Você já esteve no Museu do Índio?