quarta-feira, 22 de julho de 2015

Demarcação em debate na aula inaugural do curso Dimensões 2015

Com a aula do advogado terena,  Luiz Henrique Eloy Amado, teve início nesta segunda-feira (20/07), o curso Dimensões das Culturas Indígenas.

O tema central dos debates este ano é  "Protagonismo indígena em educação, literatura e política".

Morador da aldeia Ipegue(MS) e doutorando em Antropologia Social, o professor Luiz  Amado falou sobre "Terra tradicionalmente ocupada: o local de direitos coletivos".

Durante a palestra, o advogado fez uma análise histórica desde o Brasil colônia até a república, antes da Constituição de 88, quando os índios brasileiros eram considerados legalmente incapazes para o exercício da vida civil. Ele destacou o avanço que representou as mudanças na carta constituinte, quando foi reconhecido o direito do índio de falar por si. No entanto, segundo o advogado, apesar da Constituição federal ser soberana em relação a todas as outras leis, os direitos dos índios ainda não são respeitados como deveriam . Ele apontou como uma das soluções, a formação acadêmica dos povos indígenas, para que possam assumir a defesa de seus interesses e usar os conhecimentos adquiridos em prol de suas comunidades. De acordo com o Luiz Amado, existem ,hoje, só em Mato Grosso do Sul, 930 acadêmicos indígenas, em diversas áreas de atuação.

O professor terena também explicou, em detalhes, os trâmites administrativos necessários ao processo de demarcação de terras, lembrando os inúmeros desafios que as comunidades indígenas têm enfrentado ao longo de sua história.

Ao final do encontro foi aberto o debate e Luiz Amado respondeu perguntas formuladas pelos alunos. As discussões giraram em torno de questões como autodemarcação, políticas públicas e direito de propriedade, entre outras. Também foi sugerida , pelos participantes, a elaboração de uma moção em apoio a luta dos povos indígenas, a ser redigida ao final do curso.

As aulas acontecem até 31 de julho no Museu do Índio.



                                                                             


Comunicação Social/ MI
22/07/2015

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Documentários produzidos pelo Museu do Índio mostram cultura Pataxó

Dois filmes sobre a cultura material e imaterial dos Pataxó(BA), foram finalizados durante oficina de edição do Projeto de Documentação e Cultura Indígena(Prodocult), do Museu do Índio.

Uma das produções, intitulada Colar Vermelho, tem como tema os objetos produzidos pelos índios com sementes da região, como o tento e o tinguí.
O outro documentário fala sobre a confecção da peneira de uruba, utilizada na Casa de Farinha, da aldeia Barra Velha- Monte Pascoal, para a produção de alimentos com mandioca.

O trabalho de edição foi realizado de 13 a 17 de julho pelo pesquisador indígena, Kaiones Braz dos Santos, a partir de imagens capturadas na aldeia, durante 2014. A ação foi orientada pelo editor de imagens do Museu do Índio, Rodolpho Villanova.

No período, Kaiones Braz do Santos, também participou de trabalho de qualificação do acervo Pataxó do MI. A atividade contou com a presença da chefe do Serviço de Conservação do Patrimônio Cultural e Arquitetônico do Museu do Índio.

Todo o trabalho da oficina foi coordenado pelo pesquisador do Prodocult, Thiago Cardoso.

Agora, os dois filmes serão utilizados como material didático em escolas indígenas, além de serem incluídos no acervo audiovisual do Museu do Índio.

















Comunicação Social/ MI
17/07/2015

Protagonismo de professores indígenas no curso de férias do Museu do Índio

Wanderley Terena está entre os professores indígenas convidados para participar do curso Dimensões das Culturas Indígenas 2015, do Museu do Índio. O tema da aula será  “A história da educação escolar para o Terena”.
Wanderley Terena possui Mestrado em Desenvolvimento Local pela Universidade Católica Dom Bosco/MS . É, também, doutor em História pela PUC/ RS com atuação na área de educação.   Já desenvolveu trabalhos na FUNAI e na Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul. Atualmente leciona para crianças, jovens e adultos, na Terra Indígena Limão Verde, no âmbito do Programa de Licenciatura Povos do Pantanal da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.
As aulas começam nesta segunda-feira, dia 20 de julho. Mais informações pelo telefone 21-32148718 ou pelo email
divulgacao.cientifica@museudoindio.gov.br





Comunicação Social/ MI
17/07/2015


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Linguista Pankararu na equipe de professores indígenas do curso de férias do Museu do Índio


Maria das Dores de Oliveira, conhecida como Maria Pankararu (PE), vai participar do curso Dimensões das Culturas Indígenas do Museu do Índio.  A aula da linguista terá o tema  “Ofayé, a língua do povo do mel”.  Autora de diversos artigos sobre a língua Ofayé, Maria Pankararu é doutora em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Alagoas. Atua como professora da FUNAI, onde desenvolve ações de políticas públicas para edução escolar dos povos indígenas. É, também, colaboradora da ONG THYDEWA, com participação no projeto Sobre História e Culturas Indígenas, que dá subsídios a  estudantes e professores sobre a realidade indígena brasileira, em atenção a Lei 11.645/2008  ( www.indioeduca.org ).
Com o tema central “Protagonismo Indígena em Educação, Literatura e Política”, o  Curso Dimensões das Culturas Indígenas será ministrado por  professores indígenas. As aulas vão acontecer  de 20 a 31 de julho. Restam poucas vagas. Informe-se pelo telefone 21-32148718 ou pelo email
divulgacao.cientifica@museudoindio.gov.br




Comunicação Social/ MI
16/07/2015






quarta-feira, 15 de julho de 2015

Escritora potiguara fala sobre literatura indígena no curso de férias no MI

Integrante da equipe de professores indígenas que vão ministrar as aulas do curso Dimensões das Culturas Indígenas do Museu do Índio, a escritora  potiguara(RN),Graça Graúna, falará sobre “Literatura indígena: entre lugares, memórias e utopias”.

Com doutorado pela Universidade Federal de Pernambuco e pós-doutorado pela Universidade Metodista de São Paulo, Graúna assina diversas publicações entre as quais, “Flor da mata”(poesia),“Contrapontos da Literatura Indígena Contemporânea no Brasil”, “Criaturas e Ñanderu”. Em abril deste ano, lançou na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o livro coletivo “Memórias do movimento indígena do Nordeste”. Graça Graúna é também responsável pelo blog www.tecidodevozes.blogspot.com, que aborda especificamente questões indígenas.

O curso Dimensões acontece no Museu do Índio/RJ, de 20 a 31 de julho.
Últimos dias de inscrições. Informe-se pelo telefone (21) 3214 8718 ou pelo email divulgação.cientifica@museudoindio.gov.br


Comunicação Social/ MI
15/07/2015

Professores indígenas protagonizam o curso de férias do Museu do Índio



O professor Terena da Aldeia Ipegue (MS), Luiz Henrique Eloy Amado, será um dos convidados do curso de férias do Museu do Índio. Ele vai falar sobre o  tema “Terra tradicionalmente ocupada – o lugar de direitos coletivos”.

Luiz Amado é pós-graduado em direito público e é, atualmente, doutorando em Antropologia Social no Museu Nacional UFRJ.  Ele desenvolve ações em várias comunidades indígenas de Mato Grosso do Sul e em organizações como o Conselho Indigenista Missionário e o Conselho do Povo Terena.  O professor indígena atua,  também, nos processos judiciais que versam sobre demarcação de terras indígenas e posse indígena.

Desde de 2009, realiza oficinas nas comunidades voltadas para a formação jurídica, abordando temas que estão na pauta da agenda do movimento indígenas a nível nacional, tais como a PEC 215.

O Curso Dimensões das Culturas Indígenas acontece de 20 a 31 de julho. As inscrições ainda estão abertas. Mais informações pelo telefone (21) 3214 8718 ou pelo email divulgação.cientifica@museudoindio.gov.br


Comunicação Social/ MI
15/07/2015






sexta-feira, 3 de julho de 2015

Curso de férias do Museu do Índio

A novidade este ano é a presença de professores indígenas ministrando as aulas. Confira a programação e participe! Restam poucas vagas!





Comunicação Social/ MI
03/07/2015

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Você já esteve no Museu do Índio?