sábado, 28 de setembro de 2013

Museu do Índio na 24ª edição do Projeto UERJ Sem Muros


De 23 a 27 de setembro, o  Museu do Índio apresentou a exposição Crianças Indígenas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.  A mostra fez parte da 24ª edição do Projeto UERJ Sem Muros, que acontece anualmente na galeria da universidade.

                                                           Fotos: Clécia Borges


Comunicação Social/ MI
28/09/2013  

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Cooperação entre instituições é debatida em seminário sobre gestão de acervos indígenas promovido pelo Museu do Índio

Nesta quarta-feira (19/09) as atividades do Seminário “Gestão de Acervos Culturais em Centros de Formação de Documentação, de Cultura e Museus Indígenas no Brasil” foram dedicadas à apresentação dos trabalhos de documentação de acervo realizados pelo Museu do Índio.  O Diretor do MI, José Carlos Levinho, assinalou a importância de se estabelecer uma política de articulação e de cooperação entre as instituições, em especial aquelas dirigidas pelos povos indígenas.  Segundo ele, essa é  uma das estratégias  para superar as limitações impostas pela falta de recursos orçamentários e humanos. 
 
Seguindo a programação,  técnicos do Museu do Índio falaram sobre  as ações de promoção cultural da instituição, sobre o Programa de Documentação de Linguas e Culturas Indígenas e sobre a política de conservação de acervos etnográfico, textual e audiovisual. 

A principal preocupação apresentada pelos representantes indigenas presentes  foi a de ter acesso aos seus acervos culturais existentes nas diferentes instituições e aos documentos que lhes permitem a defesa de seus direitos, em especial,  os territoriais.

O pesquisador bolsista do Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas - PROGDOC, Yamalui Mehinaku,  mostrou alguns  dos resultados  de sua pesquisa sobre o registro dos cantos Tolo e do dicionário Kuikuro.  O trabalho realizado  por Mehinaku surpreendeu de forma bastante positiva os participantes do seminário.

Na parte da tarde, foram  realizadas oficinas sobre os programas de catalogação de acervos e automação em descrição arquivística.

O seminário está sendo realizado pelo Museu do Índio em parceria com a Rede de Cooperação Alternativa.


Comunicação Social/ MI
19/09/2013

 
                                  

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Museu do Índio promove seminário sobre gestão de acervos culturais indígenas














A Chefe do Serviço de Atividades Culturais do Museu do Índio, Arilza Almeida,  na apresentação do primeiro dia do seminário temático “Gestão de Acervos Culturais em Centros de Formação de Documentação, de Cultura e Museus Indígenas no Brasil”.












Fotos: Denise Louigiz Saltarelli


A iniciativa acontece de 17 a  20 de setembro. É fruto de uma parceria do Museu do Índio/ FUNAI  com a Rede de Cooperação Alternativa.  O encontro tem como tema central a gestão dos acervos culturais existentes em centros de documentação e de formação, bem como, de museus indigenas.  A finalidade é realizar um diagnóstico dos acervos culturais existentes na Amazônia brasileira, discutir a possibilidade de uso dos softwares de gestão de acervos em uso no Museu do Índio e criar uma rede de instituições para atuar de forma articulada na preservação de documentação indígena.

O primeiro dia do seminário contou com a participação de representantes do Museu do Índio, do Centro de Documentação e Pesquisa Indígena (Comissão Pró-Índio do Acre –CPI/AC e Organização dos Professores Indígenas do Acre -Opiac),do Centro Indígena de Formação Raposa Serra do Sol-CIFRSS e Conselho Indígena de Roraima -CIR), do Museu Kuahí dos Povos Indígenas do Oiapoque(Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena) e do Centro de Formação e Documentação Wajãpi (Conselho das Aldeias Wajãpi – Apina e Associação Wajãpi Terra Ambiente e Cultura- Awatac).

Nesta terça-feira (18/09) apresentam-se o Centro Timbira de Ensino e Pesquisa Pënxwyj Hempejxá (Centro de Trabalho Indigenista - CTI) e Associação Wyty-Cate das Comunidades Timbira do Maranhão e Tocantins, a Associação Indígena Kisedje(Instituto Socioambiental), o Centro de Cultura Kuikuro (Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu - AIKAX) e o Centro de cultura Mawo (Associação Ikpeng).

Comunicação Social/MI
18/09/2013






quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Cultura Kayapó em destaque no Museu do Índio

O Projeto de Documentação de Culturas Indígenas – PROGDOC,  do Museu do Índio está realizando uma oficina de qualificação de fotografias e filmes produzidos  pelos Kayapó  da aldeia Moxkarakô, localizada no município de São Felix do Xingu (PA).
Foto: Denise Louigiz Saltarelli
O material audiovisual, produzido a partir de 2009 no âmbito do PROGDOC,  mostra o cotidiano da aldeia, incluindo a produção de arte indígena, atividades de caça e pesca, bem como, as festividades. 
Participam da iniciativa os pesquisadores indígenas
 Bepunu Kayapó, Pawire Kayapó e Auxapé Kayapó.  Além dos três bolsistas do PROGDOC, os encontros contam com  a presença do Cacique Akijaboro Kayapó. 

A oficina  acontece de 11 a 14 de setembro com coordenação do antropólogo Thiago Oliveira. Também participa, como convidado, o pesquisador Fábio Nascimento.  

No dia 15 de setembro, os dois pesquisadores seguem para a aldeia Moxkarakô onde vão coletar e fotografar objetos etnográficos. São telas com padrões dos desenhos corporais kayapó, pintados em jenipapo. Eles ficam na região até 27 de setembro.

Comunicação Social/ MI
11/09/2013



quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas em ação na TI Vale do Javari.

As aldeias Matis,Tawaya, Todawak e Paraiso da Terra Indígena Vale do Javari (AM) recebem a pesquisadora Carolina das Neves Francisco Lopes. Ela é responsável pelo projeto “Construindo Culturas, Documentando Tradições: Sub-projeto Matis” do Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indigenas - PROGDOC. Desde o último dia 03 (terça-feira), a  pesquisadora realiza trabalho de campo catalogando  e registrando artefatos confeccionados pelos índios. Esta  ação prossegue até o dia 15 de setembro, com a participação dos alunos capacitados pela oficina audiovisual realizada em  etapas anteriores. O material será disponibilizado para as aldeias Matis, bem como para a Associação Indígena Matis - AIMA, que fica na cidade de Atalaia do Norte / AM.

Comunicação Social/ MI
05/09/2013


                       

Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas do Museu do Índio junto aos Yawanawa

Um trabalho de pesquisa e documentação da língua Yawanawa, coordenado pela pesquisadora  Livia Camargo Tavares acontece na Terra Indígena Rio Gregório, município de Tarauacá (AC).  Desde o último dia dois (segunda-feira) ela realiza uma ação nas aldeias Yawanawá, onde fica até 24 de setembro.  O objetivo é desenvolver uma oficina de revisão ortográfica, pontuação e melhoria do texto,  para finalizar a parte textual de um livro bilíngue Yawanawá/Português. 

Comunicação Social/ MI
05/09/2013



quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Programa de Documentação de Línguas e Culturas do Museu do Índio a todo vapor. Conheça a agenda de atividades junto a várias etnias.

O Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas – PROGDOC, do Museu do Índio está com a agenda cheia. Inúmeros projetos estão previstos para ocorrer, ainda este ano, em benefício de comunidades de diversas etnias. As ações do programa são divididas em quatro linhas de atuação: o Projeto de Documentação de Línguas Indígenas- PRODOCLIN, o Projeto de Documentação de Culturas Indígenas- PRODOCULT, o Projeto de Documentação de Acervo- PRODOCERV e o Projeto de Documentação de Sonoridades - PRODOCSON.

Nas Aldeias Yawanawa
Um trabalho de pesquisa e documentação da língua Yawanawa, coordenado pela pesquisadora  Livia Camargo Tavares acontece na Terra Indígena Rio Gregório, município de Tarauacá (AC). Desde o último dia dois(segunda-feira) ela realiza u
ma ação nas aldeias Yawanawá, onde fica até  24 de setembro.  O objetivo é desenvolver uma oficina de revisão ortográfica, pontuação e melhoria do texto,  para finalizar a parte textual de um livro bilíngue Yawanawá/Português. 

Na Terra Indígena Vale do Javari
As aldeias Matis,Tawaya, Todawak e Paraiso da Terra Indígena Vale do Javari (AM) recebem a pesquisadora Carolina das Neves Francisco Lopes . Ela é responsavel pelo projeto “Construindo Culturas, Documentando Tradições: Sub-projeto Matis” do PROGDOC. De 03 a 15 de setembro, a  pesquisadora cataloga e registra artefatos confeccionados pelos índios.  Participam da ação alunos capacitados pela oficina audiovisual realizada em  etapas anteriores. O material será disponibilizado para as aldeias Matis, bem como para a Associação Indígena Matis -  AIMA, que fica na cidade de Atalaia do Norte / AM.
                       
No Parque Indígena do Xingu
A partir da próxima semana, três oficinas vão movimentar o Parque Indígena do Xingu(MT) . 
Nos dias  09 e 10 de setembro  o pesquisador Aturi Kayabi vai realizar a  oficina “Culinária de Alimentos Tradicionais Kawaiwete” com o objetivo de mostrar o uso da panela de cerâmica.
Vão participar representantes das aldeias  Kwaruja, Samauma,  Buriti, Diauarum, Capivara, Maraka, Sobradinho, Alpore e Mupada. A ocasião será marcada com uma comemoração pela recuperação do conhecimento tradicional de confecção das panelas pelos Kawaiwete.
Já o pesquisador Pikuruk Kayabi vai estar, nos dias 12 e 13 deste mês,
no Posto Indígena Diauarum, à frente da Oficina de Treinamento e Aplicação do Questionário Sócio-Linguístico-Educativo. O treinamento contará com a participação de cerca de 50 a 60 pessoas de diferentes comunidades Kawaiwete. Pikuruk e Aturi trabalham no Projeto Kawaiwete do PROGDOC.
E de 16 a 20 de setembro,  Korotowi Taffarel e Maiuá Txicão do Projeto Ikpeng vão estar nas aldeias Moygu, Arayo, ministrando a Oficina de Treinamento e Aplicação do Questionário Sócio-Linguístico-Educativo. O mesmo trabalho será realizado pelos dois pesquisadores indígenas PROGDOC de 23  a 27 de setembro nas aldeias Tupará e Rawo daquela região. 

No Estado do Rio de Janeiro
O seminário temático “Gestão de Acervos Culturais em Centros de Formação, de Documentação, de Cultura e Museus Indígenas no Brasil” vai acontecer de 17 a 20 de setembro.  A iniciativa será fruto de uma parceria do Museu do Índio com a Rede de Cooperação Alternativa. O encontro terá como tema central a gestão dos acervos culturais existentes em centros de documentação e de formação, bem como, de museus indígenas. A ideia é realizar um diagnóstico dos acervos culturais existentes na Amazônia brasileira, discutir a possibilidade de uso dos softwares de gestão de acervos em uso no Museu do Índio e criar uma rede de instituições para atuar de forma articulada na preservação de documentação indígena. Vão participar representantes de várias instituições indígenas. São elas o Museu Kuahí dos Povos Indígenas do Oiapoque, a Comissão Pró-Índio do Acre, o Instituto Socioambiental, a Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu, a Associação Wyty-Cate das Comunidades Timbira do Maranhão e Tocantins, a Associação Wajãpi Terra, Ambiente e Cultura – AWATAC, o Conselho das Aldeias Wajãpi – Apina, Associação Indígena Kisêdjê – AIK,  o Conselho Indígena de Roraima-CIR e o Centro de Trabalho Indigenista – CTI.


Comunicação Social/ MI
04/09/2013







Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Você já esteve no Museu do Índio?