segunda-feira, 25 de julho de 2011

MI promove mais uma edição do curso de férias Dimensões das Culturas Indígenas.

O tema escolhido para este ano é “Histórias e Culturas dos Povos Indígenas”. Participam da iniciativa 71 inscritos. As aulas, que acontecem de 18 a 29 de julho, das 14 às 17 horas, na Galeria de Arte do Museu do Índio, estão sendo ministradas por especialistas da UFF, USP, UERJ, UNIRIO, Museu Goeldi e Prodoclin/Museu do Índio.

Programação
Primeira semana:
18/07 - 2a. feira – História Indígena Na Fronteira Sul Do BrasilPalestrante: Elisa Garcia (Uff)
19/07 - 3a. feira – Documentação De Línguas Indígenas Palestrante: Mara Santos (Museu Do Índio/Prodoclin)
20/07 - 4a. feira – Terras Indígenas E Cooperação InternacionalPalestrante: Renata Curcio Valente (Museu Do Índio)
21/07 - 5a. feira – Arte Indígena Wayana E AparaíPalestra: Lucia Van Velthem (Museu Goeldi)
22/07 - 6a. feira – Mesa Redonda: Índios Documentam Suas Culturas
Segunda Semana:
25/07 - 2a. feira – Povos Indígenas No Rio De Janeiro ColonialPalestra: Marcia Malheiros (Pró-Índio/Uerj)
26/07 - 3a. feira – Contribuições Indígenas Às Pesquisas Em Etnologia IndígenaPalestra: Dominique Gallois (Usp)
27/07 - 4a. feira – Povos Indígenas Da Amazônia No Brasil ColonialPalestra: José Ribamar Bessa Freire (Uerj/Unirio)
28/07 - 5a. feira – Saúde Indígena: Uma Experiência De AssistênciaPalestra: Aldo Lo Curto
29/07 - 6a. feira – Mesa Redonda: Índios Escrevem A História Do Brasil
NUCOM/MI25/06/2011

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mostra itinerante "Tecendo a Arte, Tecendo a Vida" em cartaz no Amapá

A exposição Tecendo a Arte, Tecendo a Vida – Mulheres Tiriyó e Kaxuyana, está sendo apresentada no Museu Kuhai dos Povos do Oiapoque, no Amapá. A mostra do Museu do Índio, em parceria com Instituto de Pesquisa e Formação Indígena – IEPÉ, está aberta ao público, desde 05 de maio de 2011.
A exposição reúne painéis fotográficos e peças etnográficas resultantes de um programa de valorização cultural em curso desde 2006 entre mulheres Tiriyó e Kaxuyana de 12 a 80 anos, de mais de vinte aldeias.
A curadoria é de Denise Fajardo Grupioni e Luiz Donisete Grupioni. A cenografia é assinada pela designer do Museu do Índio/ FUNAI, Simone Mello.
O Museu Kuhai dos Povos Indígenas do Oiapoque foi criado por lideranças indígenas em 1998, com o objetivo de ser um centro de referência. Ali, estão reunidos artefatos, saberes e conhecimentos sobre a cultura desses povos. O site é http://www.povosindigenasdooiapoque.com.br/ .




NUCOM/ MI
07/07/2011

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Terminou nesta sexta-feira(01/07) no Museu do Índio, Oficina Audiovisual Guarani

No último dia da Oficina Audiovisual do Projeto de Documentação de Culturas Indígenas do Museu do Índio, os seis Guarani-Mbya participantes, concluíram os trabalhos de edição e filmagem, iniciados nesta terça-feira(28/06). Durante quatro dias, o grupo editou o material produzido durante a Oficina de Capacitação de Pesquisadores Indígenas para Registro da Cultura Material e Imaterial, realizada pelo PRODOCULT, entre agosto de 2009 e dezembro de 2010, na Aldeia Sapukai, Terra Indígena de Bracuí, em Angra dos Reis.

A iniciativa, que aconteceu esta semana no Museu do Índio, teve a coordenação do antropólogo do PRODOCULT, Rafael Fernandes Mendes Júnior. O resultado do trabalho será apresentado na Feira Literária de Parati – FLIP, que começa no dia seis de julho. Participaram do treinamento os Guarani Lucas Xunu Mirim Benite, Cláudio Benite, Marcos Peralta,Nélida Rete Venega, Marina Kerexu Silva e João Mendonça Martins Filho.

As aulas foram dadas pelo documentarista Celso Renato Maldos . Formado em artes plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, Maldos começou a trabalhar como documentarista em 1982, tendo se dedicado, deste então, aos movimentos sociais no Brasil e no exterior. Segundo ele, o PRODUCULT é um instrumento fundamental para preservação e resgate de conhecimentos ancestrais . O documentarista destacou a importância do uso dos recursos audiovisuais, como vídeo e internet, pelas culturas de tradição oral. Para Celso Maldos “hoje a história não é mais escrita só pelos vencedores, mas também, por todos que têm acesso as tecnologias disponíveis.”





NUCOM/ MI
01/07/2011

Sessão gratuita de narração de Lendas Karajá acontece, neste domingo, no Jardim do Museu do Índio

O Museu do Índio está promovendo sessões gratuitas de narração de histórias Iny Mahãndu (TO), etnia conhecida como Karajá. O programa acontece nos dias 03/07 e 10/07 , no Espaço Jardim do Museu. À frente da iniciativa está a atriz e narradora peruana Rosana Reategui, que é, também, pesquisadora de lendas indígenas latino-americanas.

As sessões "Era uma vez lá no fundo do rio..." são promovidas pelo Serviço de Atividades Culturais do MI. Com duração de 50 minutos, cada encontro inclui a narração de quatro histórias destinadas ao público infantil. Durante a atividade, os participantes têm a oportunidade de conhecer as lendas e os costumes do povo Karajá. As histórias são contadas, de forma interativa, ao som da flauta e da sonoplastia do músico Rudi Garrido.

De acordo com a atriz, Rosana Reategui, a atividade é uma importante ferramenta para aproximar, de forma lúdica, o público infantil de realidades e culturas que fazem parte da identidade do país, proporcionando , assim, maior compreensão e respeito aos diferentes modos de vida.

Museu do Índio
Evento: Sessão “Era uma vez lá no fundo do rio...”
Data: 03 e 10 de julho de 2011
Horário: 16h
Entrada franca
Endereço: Rua das Palmeiras 55 - Botafogo - Rio de Janeiro







NUCOM/ MI
01/07/2011

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Você já esteve no Museu do Índio?