quinta-feira, 30 de junho de 2011

Mais um dia de atividades na Oficina Audiovisual Guarani no Museu do Índio

No 3º dia da Oficina Audiovisual do MI, os seis Guarani-Mbya participantes, deram continuidade aos trabalhos de edição e filmagem, sob a orientação do documentarista Celso Renato Maldos e coordenação do antropólogo Rafael Fernandes Mendes Júnior. Para o documentarista Celso Maldos, o PRODOCULT é uma importante iniciativa, pois permite que as culturas de tradição oral façam uso dos recursos audiovisuais, como vídeo e internet. Segundo ele, o treinamento é um instrumento fundamental para preservação e resgate de conhecimentos ancestrais. A Oficina Audiovisual Guarani do PRODOCULT acontece até amanhã no MI, das 9h às 16h.








NUCOM/ MI
30/06/2011

quarta-feira, 29 de junho de 2011

2º Dia da Oficina Audiovisual Guarani no Museu do Índio

No segundo dia da Oficina Audiovisual Guarani do Projeto de Documentação de Culturas Indígenas no Museu do Índio, o documentarista Celso Renato Maldos, deu prosseguimento ao treinamento em filmagem e edição. Seis Guarani participam da iniciativa. São eles: Lucas Xunu Mirim Benite, Cláudio Benite, Marcos Peralta,Nélida Rete Venega, Marina Kerexu Silva e João Mandonça Martins Filho. Nas aulas, estão sendo editadas, filmagens produzidas durante Oficina de Capacitação de Pesquisadores Indígenas para Registro da Cultura Material e Imaterial, realizada pelo PRODOCULT, entre agosto de 2009 e dezembro de 2010, na Aldeia Sapukai, Terra Indígena de Bracuí, em Angra dos Reis.
O resultado do trabalho realizado pelos Guarani, esta semana no MI, será apresentado na Feira Literária de Parati - FLIP, que começa no dia 06 de julho.
A oficina, que acontece até sexta-feira (01/07), tem coordenação do antropólogo do PRODOCULT, Rafael Fernandes Mendes Júnior



NUCOM/ MI
29/06/2011

terça-feira, 28 de junho de 2011

Projeto de Documentação de Culturas Indígenas do MI promove Oficina Audiovisual Guarani

O treinamento começou nesta terça-feira (28/06), no MI, sob a coordenação do antropólogo do PRODOCULT, Rafael Fernandes Mendes Júnior. Seis Guarani (RJ) estão aprendendo técnicas de filmagem e edição com o documentarista Celso Renato Maldos. Os participantes são os Guarani, Lucas Xunu Mirim Benite e Cláudio Benite, da Aldeia Sapukai/ TI Bracuí ; Marcos Peralta e Nélida Rete Venega, da TI Parati-Mirim; Marina Kerexu Silva, da TI Araponga e João Mandonça Martins Filho da Aldeia Rio Pequeno. A Oficina acontece das 9h às 16h, até sexta-feira(01/07).
O material que está sendo editado por Celso Maldos e os Guarani, foi produzido durante Oficina de Capacitação de Pesquisadores Indígenas para Registro da Cultura Material e Imaterial, realizada pelo PRODOCULT, entre agosto de 2009 e dezembro de 2010, na Aldeia Sapukai, Terra Indígena de Bracuí, em Angra dos Reis.
O resultado do trabalho realizado esta semana no MI, será apresentado na Feira Literária de Parati - FLIP, que começa no dia 06 de julho.



NUCOM/ MI
28/06/2011

segunda-feira, 27 de junho de 2011

15 mil estudantes visitaram o Museu do Índio este ano

De acordo com o Núcleo de Atendimento Escolar do Museu do Índio, foram registradas, nos primeiros cinco meses de 2011, quinze mil visitas de alunos de escolas das redes pública e particular. Nesse período, 281 instituições de ensino visitaram o museu, registrando aumento, em relação ao mesmo período no ano passado, quando dez mil 505 alunos de 240 escolas visitaram o museu. Em comparação a 2009, as visitas também aumentaram. Naquele ano , seis mil 733 estudantes de 164 instituições de ensino públicas e particulares estiveram no Museu do Índio.



O NUAPE
O Núcleo de Atendimento ao Público Escolar - NUAPE , do Serviço de Atividades Culturais, oferece à grupos de estudantes e professores, uma série atividades sobre diferentes culturas indígenas, a partir das exposições e coleções do Museu do Índio.
Para obter informações e/ou agendar visitas, ligue para 0(XX)21-3214-8729/-8730/-8731, de segunda a sexta, das 10h às 17h ou procure, no Museu do Índio, o Núcleo de Atendimento ao Público Escolar nos mesmos dias e horário. Após o agendamento, as visitas deverão ser confirmadas pelo e-mail atividade@museudoindio.gov.br .





NUCOM/MI27/06/2011

Projeto de Documentação de Culturas Indígenas do Museu do Índio realiza Oficina Audiovisual para os Guarani

Começa nesta terça-feira,(28/06) no Museu do Indio, Oficina Audiovisual Guarani. A iniciativa, do Projeto de Documentação de Culturas Indígenas, será coordenada pelo antropólogo do PRODOCULT, Rafael Fernandes Mendes Júnior. À frente da oficina estará o documentarista Celso Renato Maldos. Ele vai ensinar técnicas de filmagem e edição à seis Guarani. O material a ser editado, foi produzido durante Oficina de Capacitação de Pesquisadores Indígenas para Registro da Cultura Material e Imaterial, realizada pelo PRODOCULT, entre agosto de 2009 e dezembro de 2010, na Aldeia Sapukai, Terra Indígena de Bracui, em Angra dos Reis. As filmagens serão editadas na oficina que acontece esta semana no MI. O resultado do trabalho será apresentado na Feira Literária de Parati - FLIP, que começa no dia 06 de julho.






NUCOM/ MI 27/06/2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Museu Índio promove Oficinas Audiovisuais para duas etnias



O Projeto de Documentação de Línguas Indígenas do Museu do Índio - PRODOCLIN, está promovendo, esta semana, Oficinas Audiovisuais destinadas à duas etnias.


A Oficina Yawanawa está realizando, junto com os índios, trabalho de transcrição das gravações feitas na Terra Indígena Rio Gregório(AC). O material servirá para a produção de um livro que vai incluir histórias educativas sobre os ensinamentos Yawanawá . A publicação será distribuída em escolas indígenas da etnia. Participam da iniciativa Júlia Yawanawá e Manoel da Silva Yawanawá, além do coordenador de projeto do PRODOCLIN, Thiago Coutinho.


A Oficina Paresi, está realizando trabalho de transcrição ortográfica e tradução de narrativas tradicionais gravadas em 2009 na Aldeia Formoso(MT) . O material inclui mil itens lexicais que vão compor a base de dados do PRODOCLIN.


As duas oficinas acontecem até sexta-feira(24/06) no Museu do Índio.



Os Yawanawá
Os Yawanawá habitam a parte sul da Terra Indígena Rio Gregório, localizada no município de Tarauacá(AC). A TI foi a primeira a ser demarcada no Acre. A população dos Yawanawá é estimada em 540 indivíduos. A língua Yawanawá pertence à família lingüística pano.


Os Paresi
As aldeias da etnia se localizam no estado de Mato Grosso. A população estimada atualmente é de cerca de dois mil índios e a língua Paresi pertence à família Aruak.

Veja aqui as fotos das oficinas.


NUCOM/MI
21/06/2011



Veja também
> Prosseguem as atividades da 3ª Oficina do PRODOCLIN no Museu do Índio
> 3ª Oficina de Documentação de Línguas - 2º dia
> Oficina do PRODOCLIN acontece no Museu do Índio
> Os Iny Mahãndu(TO) em destaque no Projeto Índio no Museu
> MI promove sessões interativas de narração de lendas Karajá
> Curso de Férias 2011 - Programação
> Curso de Férias 2011
> Exposições Karajá do MI participam do FotoRio 2011
> Museu do Índio na 13ª Edição do Projeto Carioquinha
> Mostra de vídeos Mbya Guarani em cartaz no Museu do Índio
> Chapeús em plumária integram a exposição A Presença do Invisível
> Em cartaz no Museu do Índio
> "Os Índios de Darcy" em cartaz no sul do país
> Terminou nesta sexta-feira(17/06) a 3ª Oficina do PRODOCLIN.
> MI promove sessões interativas de narração de lendas Karajá
> Mais um dia de atividades da 3ª Oficina do PRODOCLIN no Museu do Índio
> MI promove sessões interativas de narração de lendas Karajá
> Telefones do Museu do Índio

sexta-feira, 17 de junho de 2011

MI promove sessões interativas de narração de lendas Karajá

O Museu do Índio promove, até novembro, sessões gratuitas de contação de histórias Iny Mahãndu (TO), etnia conhecida como Karajá. À frente da iniciativa está a atriz e narradora peruana Rosana Reategui, que é, também, pesquisadora de lendas indígenas latino-americanas. As sessões "Era uma vez lá no fundo do rio..." , promovidas pelo Serviço de Atividades Culturais do MI, acontecem no Jardim do Museu, sempre aos domingos, a partir das 16h, com entrada franca. Com duração de 50 minutos, cada encontro inclui a narração de quatro histórias destinadas ao público infantil. Durante a atividade, os participantes têm a oportunidade de conhecer as lendas e os costumes do povo Karajá. As histórias são contadas, de forma interativa, ao som da flauta e da sonoplastia do músico Rudi Garrido.
De acordo com a atriz, Rosana Reategui, a atividade é uma importante ferramenta para aproximar, de forma lúdica, o público infantil de realidades e culturas que fazem parte da identidade do país, proporcionando , assim, maior compreensão e respeito aos diferentes modos de vida.


Evento: Sessão “Era uma vez lá no fundo do rio...”
Data: 19/06/2011
Horário: 16h
Entrada franca


NUCOM/ MI
17/06/2011

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Mais um dia de atividades da 3ª Oficina do PRODOCLIN no Museu do Índio




Foi realizado hoje no Museu do Índio o quarto dia da Oficina "Gestão dos Acervos Digitais Prodoclin". Durante o dia, os índios participaram de novos treinamentos em atualização e inserção de conteúdos nos sites do portal do Projeto de Documentação de Línguas Indígenas do MI. Além disso, foram abordados os temas acessibilidade e navegabilidade. Participaram da ação, a Gestora Científica do PRODOCLIN, Mara Santos, e coordenadores do Projeto. Esta é a 3ª oficina realizada pelo PRODOCLIN. A iniciativa, é destinada à 48 índios representantes de 11 etnias. Os treinamentos acontecem na Galeria de Arte do Museu do Índio, até sexta-feira (17/06) .




NUCOM/MI
16/06/2011

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Prosseguem as atividades da 3ª Oficina do PRODOCLIN no Museu do Índio

No terceiro dia de atividades da Oficina "Gestão dos Acervos Digitais Prodoclin", promovida pelo Museu do Índio, foram realizados treinamentos em atualização e inserção de conteúdos nos sites do portal do Projeto de Documentação de Línguas Indígenas do MI. Também foram abordados os temas acessibilidade e navegabilidade. Nesta quarta-feira, estiveram presentes, a Gestora Científica do PRODOCLIN, Mara Santos, e coordenadores do Projeto. Esta é a 3ª oficina realizada pelo PRODOCLIN. A iniciativa, é destinada à 48 índios representantes de 11 etnias. Os treinamentos acontecem na Galeria de Arte do Museu do Índio, até sexta-feira (15/06) .

terça-feira, 14 de junho de 2011

REPRESENTANTES DE 11 ETNIAS INDÍGENAS PARTICIPAM DE OFICINA NO MI

O Museu do Índio está promovendo a 3ª Oficina de Documentação de Línguas Indígenas, com o tema “Gestão dos Acervos Digitais Prodoclin”. A iniciativa é dirigida à 48 representantes de 11 etnias indígenas. A oficina começou nesta segunda-feira (13/06) e acontece até 17 de junho, na Galeria de Arte do MI.
No primeiro dia de atividades, a Gestora Científica do Programa de Documentação de Línguas Indígenas, Mara Santos, apresentou os projetos desenvolvidos pelo PRODOCLIN junto às etnias Shawadawa e Yawanawa. Em seguida, os índios participaram de um treinamento em Gestão de Acervos Digitais, com o Assistente de Pesquisa , Juliano Leandro e com o Gestor Técnico, Edison Silva, ambos do PRODOCLIN. Por fim, a Diretora de Arte, Simone Melo(PRODOCLIN), apresentou aos presentes, o Portal do Programa de Documentação de Culturas e Línguas Indígenas- PROGDOC.

Nesta terça-feira (14/06), estiveram presentes o diretor do Museu do Índio, José Carlos Levinho, a coordenadora do Projeto de Documentação de Línguas Indígenas, Drª Bruna Franchetto e a Gestora Científica do PRODOCLIN, Mara Santos. Na programação desta terça-feira, os coordenadores do PRODOCLIN falaram aos participantes,que conheceram as ações do PRODOCLIN desenvolvidas junto aos grupos Apiaka, Ikpeng, Kawaiwete, Kisedje e Karajá. Foram mostrados, ainda, os trabalhos realizados junto aos Maxakali, Ninam, Paresi e Rikbaktsa. A oficina acontece no Museu do Índio até sexta-feira (17/06).

O PRODOCLIN
O Projeto de Documentação de Línguas Indígenas - PRODOCLIN - foi criado em 2009 com o objetivo de documentar as línguas nativas indígenas ainda existentes no Brasil. A iniciativa é do Museu do Índio/ FUNAI em parceria com a Fundação Banco do Brasil e UNESCO .



NUCOM/ MI
13/06/2011

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Exposições Karajá do MI participam do FotoRio 2011

Duas exposições Karajá em cartaz no Museu do Índio participam da 5ª Edição do Encontro Internacional de Fotografia - o FotoRio2011. Uma delas, é a mostra fotográfica “Ijasó: Os Aruanãs”, que pode ser vista no Espaço Muro do Museu. A exposição reúne 20 imagens, feitas pelos próprios índios, das danças dos sobrenaturais “Ijasòs” com as meninas-moças “idjadokomã”. A outra, é a exposição “Komarya e Myrani:Identidade Iny”, em cartaz no Espaço Varanda do Museu. Trata-se de um mural fotográfico composto de 30 fotos geradas no Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas. As duas exposições fazem parte do conjunto de mostras que integram a 3ª Edição do Projeto Índio no Museu, dedicada à etnia Iny Mahãdu, conhecida como Karajá.
O evento de inauguração do FotoRio 2011 acontece nesta segunda-feira (06/06), no Centro Cultural Correios com a abertura da exposição “Um Cavaliere entre dois mundos do fotógrafo ítalo-gaúcho Virgílio Calegari”. A mostra, com curadoria do fotógrafo e jornalista Milton Guran, reúne 20 imagens em reproduções digitais sobre a sociedade e a vida urbana da capital gaúcha durante a virada do século XIX para o século XX. É a primeira vez que o acervo de Virgílio Calegari vem ao Rio.
O FotoRio tem como objetivo valorizar a fotografia como bem cultural, dando visibilidade aos grandes acervos e coleções públicas e particulares, bem como, à produção fotográfica contemporânea brasileira e estrangeira. O FotoRio 2011 está sendo apresentado em diversos espaços culturais do Rio de Janeiro. Até 17 de julho, o público carioca terá a oportunidade de conhecer e participar de extensa programação. Confira no site www.fotorio.fot.br .

NUCOM/ MI
06/06/2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Museu do Índio na 13ª Edição do Projeto Carioquinha

O Museu do Índio está participando, mais uma vez, do Projeto Carioquinha da Prefeitura do Rio. De 28 maio à 30 de junho, o visitante que comprovar que nasceu ou mora no Rio e Grande Rio, terá gratuidade na visita à exposição “A Presença do Invisível: Vida cotidiana e ritual entre os povos indígenas do Oiapoque”, em cartaz no Casarão do MI.
O Projeto Carioquinha tem como objetivo incentivar os moradores do Rio de Janeiro a conhecer os pontos turísticos mais importantes do Estado.

Outras atrações
O público que visitar o Museu do Índio, nesse período, pode aproveitar para conferir, também, um pouco do universo Iny Mahãdu (TO). A etnia, conhecida como Karajá, integra a 3ª Edição do Projeto Índio no Museu e está presente nos espaços expositivos do MI.
O Espaço Muro do Museu apresenta uma mostra de fotografias feitas pelos próprios Karajá. Já no Espaço Museu das Aldeias, uma exposição etnográfica mostra a cultura do povo Iny.
E na Loja Artíndia, o visitante confere objetos produzidos por índios de várias regiões do país.


NUCOM/ MI
01/07/2011

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Você já esteve no Museu do Índio?