quarta-feira, 25 de maio de 2011

Mostra de vídeos Mbya Guarani no Museu do Índio

O Serviço de Atividades Culturais do Museu do Índio preparou uma mostra de vídeos sobre os Mbya Guarani. O objetivo é divulgar informações sobre o modo de vida, mitos e costumes desse povo.
As sessões acontecem de 26/05 a 16/06, sempre às quintas-feiras, a partir das 15h, no Espaço de Criação do Museu do Índio. Após a exibição dos filmes, haverá bate-papo com especialistas do MI. Entrada gratuita.

O primeiro filme em cartaz será "Duas aldeias uma caminhada”, de Germano Benites, Ariel Ortega e Jorge Morinico, realizado pelo IPHAN/RS e Vídeo nas Aldeias.



Veja abaixo a programação completa:
26 de maio “Duas aldeias uma caminhada”, de Germano Benites, Ariel Ortega e Jorge Morinico. IPHAN/RS e Vídeo nas Aldeias.
02 de junho “Os seres da mata e sua vida como pessoas”, de Daniel Devos e Wera Poty Benites. Coordenação de Direitos Humanos da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.
09 de junho “Como surgiu a Noite”, de Alexandre Perim e Regina Mainard. Polyteama/Petrobrás.
16 de junho “Venham todas as crianças”, de Silvio Cordeiro e André Costa. Universidade de São Paulo, Museu de Arqueologia e Etnologia - MAE/USP

Museu do Índio realiza Oficina Audiovisual Xavante

O Museu do Índio está promovendo mais uma Oficina Audiovisual, desta vez, destinada à etnia Xavante. A iniciativa faz parte das ações do Programa de Documentação de Línguas – PROGDOC , do MI. Participam do treinamento, os Xavante Tsuptó(Cacique), Marco Aurélio, Goiano, Roman e Lincoln. As aulas começaram nesta segunda-feira(23/05) e vão até até sexta-feira(27/05). Durante os encontros, os Xavante realizam diversas atividades audiovisuais, entre elas, edição e transcrição de depoimentos sobre a cultura alimentar da etnia. O material será publicado no próximo número do Boletim do projeto Danhiptetezé:Iniciativa de cultura alimentar Xavante, do PROGDOC. Além disso, os Xavante estão participando da identificação do conteúdo de imagens , que serão incorporadas ao acervo do MI. A Oficina tem coordenação dos antropólogos James Welch e Carlos Coimbra.

Os Xavante
As Terras Indígenas Xavante ficam localizadas em Mato Grosso, tendo atualmente uma população de aproximadamente 15.300 pessoas. A família lingüística é Jê, do tronco Macro-Jê.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Chapeús em plumária integram a exposição A Presença do Invisível

Os povos do Oiapoque elaboram sofisticados ornamentos de plumária na forma de coroas radiais, chapéus e pingentes. O chapéu (foto) - xapo ou plumaj em patoá e iuti em palikur, é o ornamento plumário mais prestigiado entre os Galibi Marworno, Palikur e Karipuna. Ele é usado, essencialmente, durante o Turé pelos homens ou em alguma comemoração especial, como nas festividades da Semana do Índio (em abril), nas assembléias políticas, na visita de uma autoridade ou em alguma solenidade importante. É o emblema da “indianidade” destes povos. As longas penas de arara e de garça branca, no alto do chapéu, são chamadas de penas-espírito.A peça é um dos destaques da exposição A Presença do Invisível , em cartaz no Casarão do Museu do Índio.


A exposição


A mostra apresenta uma visão ampla e articulada do universo indígena, capaz de dar vida e sentido às manifestações cotidianas e rituais dos Povos Indígenas do Oiapoque. O conjunto das peças que integram a mostra, foi recentemente formado, sendo parte de uma criação contemporânea. Com o intuito de realçar variações e continuidade no tempo, imagens e peças antigas, do acervo do Museu do Índio, também estão expostas.


A mostra A Presença do Invisível fica aberta ao público até o segundo semestre de 2011. Pode ser vista de segunda a sexta-feira, das 9h às 17:30h, e, aos sábados e domingos, das 13h às 17h. O valor do ingresso é de R$3,00, de terça a sábado. Aos domingos, a visitação é gratuita. Entrada franca para estudantes da rede pública e pessoas acima de 65 anos.


NUCOM/ MI
19/05/2011

terça-feira, 17 de maio de 2011

18 de maio: Dia Internacional de Museus

Nesta quarta-feira, o Museu do Índio comemora o Dia Internacional de Museus com atividades inspiradas no tema Museus e Memória.


A programação do MI inclui contação de histórias do povo Fulni-ô. Os visitantes terão a oportunidade de ouvir, de Xumayá Fulni-ô (foto), as lendas e mitos que ele aprendeu, na infância, com os mais velhos de sua aldeia, em Águas Belas/ PE.

E mais, durante todo o dia, a exposição “A Presença do Invisível: vida cotidiana e ritual entre os povos do Oiapoque” terá entrada gratuita. A mostra, que ocupa o casarão central do MI, apresenta a cultura dos Karipuna, dos Palikur, dos Galibi Marworno e dos Galibi Kaliña, povos que habitam diferentes terras indígenas na região fronteiriça do Brasil com a Guiana Francesa, no estado do Amapá. Juntos, eles totalizam cerca de 5.000 pessoas.
Dia 18 de maio - ENTRADA GRATUITA

Exposição “A Presença do Invisível: vida cotidiana e ritual entre os povos do Oiapoque”
Visitação: das 9h às 17:30h

Contação de histórias com Xumayá Fulni-ô
Sessões às 10h e às 15h.





ENTRADA GRATUITA





NUCOM/MI
17/05/2011










Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Você já esteve no Museu do Índio?